QUANDO OS RELATOS DAS TESTEMUNHAS OCULARES CONTRARIAM A CIÊNCIA...

TEXTO ADAPTADO

Antigos exploradores e historiadores, como Flávio Josefo, falaram de pequenos répteis voadores no antigo Egito e na Arábia e descreveram seus predadores, os íbis, impedindo sua invasão ao Egito. (Epstein, Perle S.,  Monstros: Suas Histórias, Casas e Hábitos , 1973, p.43). Um historiador do terceiro século Gaius Solinus, escreveu sobre as serpentes voadoras árabes e afirmou que “o veneno é tão rápido que a morte segue antes que a dor possa ser sentida.” (Cobbin, Ingram,  Condensed Commentary and Family Exposition on the Whole Bible, 1837, p. 171.)

O historiador grego Heródoto escreveu: “Há um lugar na Arábia, situado muito perto da cidade de Buto, para o qual fui, ao ouvir falar de algumas serpentes aladas; e quando lá cheguei, vi ossos e espinhos de serpentes, em quantidades que seria impossível descrever. A forma da serpente é como a da cobra d'água; mas ela tem asas sem penas e tão semelhantes quanto possível às asas de um morcego.” (Heródoto,  Historiae, tr. Henry Clay, 1850, pp. 75-76). Esta é uma descrição notável de um pterossauro. Em seu terceiro volume, Heródoto continua contando como esses animais às vezes podiam ser encontrados nos pomares de especiarias da Arábia. Ele descreve seu tamanho, coloração e reprodução. Parece que as serpentes voadoras venenosas eram famosas por viver em árvores de olíbano. Quando os trabalhadores queriam recolher o incenso da árvore, eles empregavam fumaça pútrida para afastar os répteis voadores. Heródoto foi chamado de “o Pai da História” porque foi o primeiro historiador que conhecemos a coletar seus materiais sistematicamente e depois testá-los quanto à exatidão.


Um irlandês do século X encontrou uma grande besta com garras que tinha "ferro em sua cauda que apontava para trás". Ele tinha uma cabeça parecida com a de um cavalo. Ele também tinha pernas grossas e garras fortes. Poderia ser um estegossauro sobrevivente? (Ham, K.,The Great Dinosaur Mystery Solved , 1999, p.33.).

Em 26 de abril de 1890, The Tombstone Epitaph (um jornal local do Arizona) relatou que dois cowboys descobriram e abateram uma criatura - descrita como um “dragão alado” - que se assemelhava a um pterodáctilo, apenas MUITO maior. Os cowboys disseram que sua envergadura era de 50 metros e que seu corpo tinha mais de um metro de largura e 36 metros de comprimento. Os cowboys cortaram a ponta da asa para provar a existência da criatura. A descrição do animal no jornal se encaixa na categoria do Pterossauro Quetzelcoatlus, cujos fósseis foram encontrados no Texas. (► Confira aqui a folha original do jornal com a referida matéria).


Um artefato chinês fascinante é a caixa ornamental Zhou Saurópode do Leste tardio (Fang Jian). A obra de arte exibe um animal cujos traços físicos não combina com nada que existe na terra, mas combina perfeitamente com um braquiossauro. (Fong, ed. Wen, The Great Bronze Age of China , Metropolitan Museum of Art, 1980, p. 285.) A referida obra foi disponibilizada em PDF e pode ser baixada no site do museu. (Confira aqui).

Clique aqui para visualizar em formato ampliado.


Abaixo o leitor poderá observar a alça de um objeto de cerâmica mesoamericana confeccionado pelos índios Caddo do Mississippi. Parece exibir um dinossauro bebê. Este artefato de cerca de 1200 DC está guardado no Creation Evidence Museum no Texas.


Existem centenas de pinturas rupestres feitas por indígenas e tribos primitivas em diversas partes do planeta, como também animais desenhados ou esculpidos por artistas de diversas culturas antigas, cujas representações enquadram-se apenas nos dinossauros desenterrados pelos arqueólogos modernos. (Confira aqui - Use o tradutor do seu navegador). A partir daqui o problema reside no fato que a ciência afirma que tais homens não viram os dinossauros. Mas este não é um problema para os cristãos, (particularmente os criacionistas) afinal o apóstolo Paulo advertiu o jovem Timóteo quanto à sua posição perante os grandes mestres da Grécia antiga...

"Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência, a qual professando-a alguns, se desviaram da fé. A graça seja contigo. Amém" - 1 Timóteo 6:20,21